Pare de minimizar suas conquistas no seu Curriculum!

Eu ajudo muita gente a refazer e melhorar CVs e reparei que a maioria sofre do mesmo mal: minimizam seus talentos e conquistas. Eu resolvi escvrever sobre o assunto e explicar como se faz um CV justo e que reflete suas realizações.

A parte mais difícil consiste em descrever o trabalho que você fez nos diferentes cargos que ocupou. Eu vou dar exemplos para ficar mais fácil de explicar. Vamos supor que você foi “au pair” e ajudou uma família na inglaterra a criar seus filhos e a gerenciar a casa. Na maioria dos casos, as pessoas que atendo escrevem algo do tipo (vou escrever em inglês porque raramente produzo CVs em português):

“Worked as a nanny/ au pair and helped with daily house work”

Ou as vezes, nem descrevem o que fizerem, colocam apenas que foram “au pair” de tal ano a tal ano. Sabemos que o trabalho de uma “au pair” e muito mais complexo do que isso. Trata-se de cuidar dos filhos dos outros, se responsabilizar por eles e gerenciar a rotina semanal de uma família inteira. Na minha opiniao, isso descreve melhor o que faz uma “au pair”:

“Assisted a busy family with 2 children in their daily routine and planned for indoor and outdoor activities. Transported children to and from school and acted as a personal assistant / home organizer”.

Agora sim! Entendem a diferenca?! Eu nem coloquei tudo que uma “au pair” faz, fiz o resumo do resumo. Vou dar um outro exemplo. Vamos descrever o que faz uma secretária. Eu fui secretária executiva muitas anos e conheço bem a trilha. Vejo que as pessoas gostam de “copy and paste” o “job description” da vaga que ocuparam e colocam assim:

“- answering telephone calls

– maintaining diaries

– arranging appointments

– taking messages

– typing and word processing

– filing”

Isso me frustra profundamente porque uma secretária é muito mais do que isso! Uma Assistente de diretoria é a mão direita de um Diretor, ela filtra informação, motiva os empregados à sua volta, ela é a porta de entrada para o gabinete executivo, ela cuida de eventos, calendários, viagens, vistos, etc. Então por que não colocar isso?:

“- Prepared and processed administrative requests, such as phone screening, calendar management and organized meetings/ events for high profile executives. Booked travels and processed visa applications on a daily basis. Performed filling duties and kept appropriate level of office supplies”.

Qual você prefere? Uma mera descrição de tarefas ou um resumo de atividades complexas que descrevem com justiça o que faz uma Assistente?

Agora vamos abordar os “gaps” no CV. Como podemos descrever um período onde não trabalhamos ou não estudamos. Mesmo quando não estamos ativos no mercado de trabalho, produzimos algo. Às vezes é um curso de fotografia, um blog, uma viagem para aprender uma língua nova, uma certificação em Yoga. O que for! Estamos sempre aprendendo e isso deve estar refletido no CV.

Não podemos deixar nenhum vázio. Todo recrutador é treinado para se desconfiar de “gaps”. Eu fui recrutadora e sei bem disso. “Gaps” são para aqueles que pararam no tempo, que não se reciclaram, que não sabem usar um “smart phone”, que nunca ouviram falar de excel, que não têm um perfil de Linkedin bacana e atualizado, são para aqueles que ainda nao fizeram o esforco de aprender uma língua nova, são para os que não querem se reintegrar, se reinvenar, se reinserir no mercado de trabalho. Para esses, será muito difícil encontrar um trabalho bom no Vale do Silício. Para todos os outros, segue a dica:

Se você se mudou para acompanhar o seu marido e ficou sem trabalhar, coloque por exemplo:

“I relocated to follow my spouse’s career and decided to dedicate myself to my family and passions. I was able to travel extensively, learn a new language, culture and habits and I started a blog on social influences and on life abroad”.

Se você não tem um blog, coloque outra coisa que você fez durante o seu período “gap”. Um curso de inglês (mesmo online), umas traduções que você fez para ajudar um amigo, um voluntariado que você fez na escola do seu filho/filha. Voluntariados e estágios são muito bem vistos e valorizados nos Estados Unidos e na Europa. Infelizmente, ainda não é o caso no Brasil.

Se você decidiu parar de trabalhar para ficar com o(s) filho(s), coloque na sua “cover letter” algo assim:

“I would very much appreciate the opportunity to work for (coloque o nome da empresa) as a (coloque o cargo) now that I am ready to re-enter the formal workforce after caring for my new born son/daughter for (coloque o tempo em que ficou sem trabalhar). I am pursuing my career goals despite the necessary break and would also consider other roles in your company even if I might seem overqualified for the job”.

Isso demonstra o quanto você esta pronta pra voltar ao mercado de trabalho e também que você está disponível a ganhar um pouco menos ou a aceitar um cargo que esta um pouco abaixo de suas qualificações. Será praticamente impossível voltar para o mesmo de nível de salário e cargo após um longo período sem trabalhar (1 ano ou mais). Isso é a realidade do mercado de trabalho no Vale do Silício e em muitos outros locais. É injusto penalizar as mães, mas essa é uma barreira que todas enfrentamos.

Se você não tem experiência de trabalho nos Estados Unidos, você simplemente coloca o que você fez no Brasil, com links para as empresas onde trabalhou e com uma pequena explicacao ao lado para facilitar o entendimento do leitor. Segue abaixo:

TV Globo (redeglobo.globo.com)

(biggest TV channel in Brazil)

A Globo pode ser grande no Brasil, mas no exterior não é. Entao, é preciso colocar uma pequena legenda com um link para faciliar o trabalho do recrutador que vai ler e talvez selecionar o seu CV.

Eu também costumo ajudar muitos engenheiros de computação que querem se mudar para o Vale do Silício e a maioria ja tem experiência de trabalho em tecnologia, mas pecam por não terem nos seus CVs uma Universidade americana. Não é preciso fazer bacharelado em Standford, mas é preciso fazer pelo menos um “extension course”. Standord e Berkeley são umas das melhores universidades no mundo e oferecem cursos de especialização em várias áreas e sem examanes de entrada. Basta falar inglês e pagar pelo curso. As vezes, os cursos são até online! Isso faz toda a diferença no CV e todo recrutador valorisa essas instituições. Meu conselho é simples: entre no site da Standford e da Berkeley e comece a fazer cursos antes mesmo de se mudar para o Vale do Silício. Você ganhará tempo e experiência na sua área. Os cursos não são demasiadamente caros e podem ser feitos do conforto de sua casa.

Existem muitas outras dicas que ainda posso dar para pessoas que nao têm experiência de trabalho e estudo no exterior. Cada caso, é um caso único. Espero ter ajudado e estou sempre disponível no Linkedin (https://ch.linkedin.com/in/rebeca-gelencser) e pelo site: http://www.internationalcareeradvisors.com

Obrigada, Rebeca Gelencser

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s